Brasileiras Luisa Stefani estreia com vitória no WTA 500 de Melbourne



A paulistana Luisa Stefani estreou com vitória no fim da noite deste sábado no WTA 500 de Melbourne, na Austrália, o Gippsland Trophy, com premiação de US$ 442 mil e que oferece 470 pontos para a dupla campeã. Luisa, baseada na Saddlebrook Academy, na Flórida, e a parceira americana Hayley Carter, cabeças de chave 6, derrotaram as tchecas Krystina Pliskova e Lucie Hradecka na primeira rodada por 6/1 7/6 (7/4), após 1h10min de duração, na quadra 10 de Melbourne Park.


Atual número 30 do mundo e primeira top 30 do Brasil no feminino desde Maria Esther Bueno em 1976, Luisa e a parceira encaram, nas oitavas de final, as vencedoras do duelo entre Mihaela Burzanescu/Alize Cornet (Romênia/França) e Makoto Ninomiya/Renata Voracova (Japão/Rep. Tcheca).

"Ótima estreia, começamos o jogo super bem e fizemos um primeiro set quase perfeito. No segundo elas jogaram um pouco melhor, sacaram bem, mudaram um pouco o efeito spin no saque. Mesmo assim nos sentimos muito bem na quadra", analisou Luisa.

"As condições da quadra estavam um pouco diferentes do clube que estávamos treinando (Albert Park). As quadras aqui em Melbourne Park estão bem mais lentas e dá uma diferença boa no quique da bola. Mas conseguimos nos adaptar e vencer na estreia", completou Luisa,  que tem o apoio da Tennis Warehouse, Saddlebrook Academy, HEAD e Liga Tênis 10.

Um pouco da carreira - Luisa Stefani, 23 anos, nascida em São Paulo (SP), mora em Tampa, na Flórida (EUA), treinando na Saddlebrook Academy. Cursou a universidade americana de Pepperdine, onde jogou o circuito universitário por alguns anos. Se destacou e optou por trancar a faculdade para disputar o circuito profissional integralmente a partir de meados de 2018. Ganhou destaque nas duplas e começou a colher resultados já em 2019, conquistando um título no WTA de Tashkent, no Uzbequistão, e o vice-campeonato em Seul, na Coréia do Sul, em outubro, com sua então nova parceria, a norte-americana Hayley Carter, terminando o ano perto das 70 melhores do mundo.

Em 2020, conquistou o WTA 125 de Newport Beach, na Califórnia e chegou às oitavas de final do Australian Open. Após a quarentena, comemorou o título do WTA de Lexington, nos Estados Unidos. Terminou o ano como a 33ª do mundo, primeira brasileira no top 40 em mais de três décadas. Começou 2021 com uma final no WTA 500 de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, alcançando o top 30 - a primeira brasileira desde 1976. Como juvenil, também foi destaque, conquistando vitórias em Wimbledon e se tornando Top 10.

(Assessoria)

Comentários

+ lidas nos últimos 30 dias!

Mega-Sena acumula

Maringá FC e Londrina se enfrentam neste sábado pelo Paranaense 2021