Brasileira Luisa Stefani conhece adversárias no WTA 500 de Melbourne e é liberada após quarentena



A paulistana Luisa Stefani conheceu, nesta sexta-feira (29), suas adversárias no torneio WTA 500 de Melbourne, na Austrália, o Yarra Valley Classic, com premiação de US$ 442 mil e que oferece 470 pontos para a dupla campeã. Stefani, baseada na Saddlebrook Academy, na Flórida (EUA), e a parceira norte-americana Hayley Carter são as cabeças de chave 6 e encaram as tchecas Krystina Pliskova e Lucie Hradecka na primeira rodada, a partir desta segunda-feira (1º).

"Ótimo jogo, duas jogadoras muito boas. Entramos nesse torneio, mas não importava qual fosse, serão boas partidas, duras, e é isso que nós gostamos. Nunca enfrentamos Hradekca e Pliskova juntas, só separadas. Vamos rever os jogos que fizemos e temos dois dias de treino para começar a chave na segunda", afirmou Stefani, que vem de final no primeiro evento do ano em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.


Atual número 30 do mundo e primeira top 30 do Brasil no feminino desde Maria Esther Bueno em 1976, Stefani foi liberada na noite desta quinta-feira (28) da quarentena de 14 dias e pode finalmente ficar livre para deixar o hotel em Melbourne.

Por conta das restrições e limpeza do local de treino, não treinou nesta sexta e voltará a praticar em quadra neste sábado (30). Durante os 14 dias, Stefani e Carter tiveram cerca de duas horas de treinamento em quadra e mais uma hora de academia, totalizando cinco horas por dia fora do hotel na quarentena para evitar a contaminação por Covid-19.

"O primeiro dia de liberdade após a quarentena foi muito bom. Atípico, com chuva. De qualquer forma ninguém ia poder treinar hoje, o local está sendo limpo e todo mundo saindo dos hotéis. Então usamos o dia para dar uma caminhada, comer no restaurante, voltar à rotina que tinha antes. É maravilhoso, mas um pouco estranho ainda. Foi ótimo para descansar, fazer um treino físico mais leve para recuperar e, neste sábado, já começamos a treinar novamente com pontos e outras jogadoras, que é uma coisa que senti falta nas duas últimas semanas", explicou Stefani, que tem como apoiadores Head, Tennis Warehouse e Saddlebrook Resort.

Um pouco da carreira - Luisa Stefani, 23 anos, nascida em São Paulo (SP), mora em Tampa, na Flórida (EUA), treinando na Saddlebrook Academy. Cursou a universidade americana de Pepperdine, onde jogou o circuito universitário por alguns anos. Se destacou e optou por trancar a faculdade para disputar o circuito profissional integralmente a partir de meados de 2018. Ganhou destaque nas duplas e começou a colher resultados já em 2019, conquistando um título no WTA de Tashkent, no Uzbequistão, e o vice-campeonato em Seul, na Coréia do Sul, em outubro, com sua então nova parceria, a norte-americana Hayley Carter, terminando o ano perto das 70 melhores do mundo.


Em 2020, conquistou o WTA 125 de Newport Beach, na Califórnia e chegou às oitavas de final do Australian Open. Após a quarentena, comemorou o título do WTA de Lexington, nos Estados Unidos. Terminou o ano como a 33ª do mundo, primeira brasileira no top 40 em mais de três décadas. Começou 2021 com uma final no WTA 500 de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, alcançando o top 30 - a primeira brasileira desde 1976. Como juvenil, também foi destaque, conquistando vitórias em Wimbledon e se tornando Top 10.

(Assessoria) 

Comentários

+ lidas nos últimos 30 dias!

Mega-Sena acumula

Prefeito Ulisses Maia confirma haitiano na Secretaria de Juventude e Cidadania