Em Maringá, geração de emprego e renda será prioridade na segunda gestão

O retorno à normalidade, com a perspectiva da vacina contra o coronavírus a curto prazo, reforça o planejamento da administração municipal para estimular as atividades econômicas e gerar emprego e renda. Uma das prioridades do prefeito Ulisses Maia para o segundo mandato. Além de plano de retomada das atividades produtivas, já em fase de aplicação, a reforma administrativa prevê secretarias específicas voltadas ao setor econômico: de Emprego e Renda e de Aceleração Econômica. 


As pastas darão sequência a diversos investimentos. Como o Parque Industrial de Maringá. Na área de 2,5 milhões de metros quadrados já estão em fase de instalação pelo menos duas dezenas de empresas. Os 199 lotes vendidos foram adquiridos por 120 empresas. Outros 50 foram licitados em novembro e aguardam procedimentos burocráticos. Atividades ligadas a diversos segmentos estão previstas. Como  confecção, bebidas, móveis, transportadora, papéis, metalúrgica, molas, gás, piscinas, fita adesiva, entre outros. 

Outro investimento relevante para a geração de emprego é o Parque de Tecnologia da Informação.  As primeiras construções já estão em fase de projeto com previsão de início para primeiro trimestre de 2021. Nove empresas adquiriram os 12 lotes disponibilizados e devem gerar 400 empregos. Algumas já têm o projeto arquitetônico pronto e ficarão localizadas na parte frontal da avenida Nildo Ribeiro da Rocha, em área de 28 mil m². Haverá uma segunda etapa da venda de terrenos em área de 140 mil m² na parte dos fundos em área ainda não loteada. 

A prioridade da gestão Ulisses Maia na geração de emprego pode ser ilustrado pelos números do Espaço Empreendedor, da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento Econômico (Seide). Atual gestão encerra com dobro de Microempreendedores Individuais (MEIs) ativos em relação a 2016. São mais de 30 mil registros contra 14,6 mil de quatro anos atrás. Estima-se que o microempreendedorismo gere cerca de 50 mil empregos na cidade. O programa ′Juro Zero′, já aprovado pelos vereadores e em fase estruturação, incrementará as atividades

Agência do Trabalhador de Maringá encerrará 2020 com aproximadamente 57% a mais em oferta de empregos que em 2017. Mesmo com pandemia do coronavírus, medidas da prefeitura e empresas locais colaboraram para colocar a cidade em destaque estadual na oferta de vagas de trabalho. Apesar de ainda não haver dados de dezembro, estimativa indica que 2020 será ano de maior geração de empregos na gestão Ulisses Maia, devendo ultrapassar 6,4 mil vagas abertas. No ano passado foram 6,1 mil, em 2018 foram 4,8 mil e em 2017 foram 4 mil vagas.

D A D O S
• Parque Industrial - 120 empresas , 1,8 mil empregos , 16 empresas em construção 
• Parque de TI - 12 empresas , 400 empregos
• Agência do Trabalhador - 6,4 mil vagas de trabalho em 2020
• Espaço Empreendedor - 30,2 mil MEIs ativas em 2020
• Novidades: Programa Juro Zero, secretarias de Emprego e Renda e de Inovação, Turismo, Aceleração Econômica e Comunicação 
(Texto: Andye Iore. Foto: Aldemir de Moraes/PMM)

Comentários

+ lidas nos últimos 30 dias!

Mega-Sena acumula

Prefeito Ulisses Maia confirma haitiano na Secretaria de Juventude e Cidadania

Confira o que abre e fecha nos feriados de Natal e Ano Novo em Maringá