Palmeiras conquista vitória de virada diante do Água Santa no Paulistão

O Palmeiras foi a campo neste domingo (26), às 16h, para enfrentar a equipe do Água Santa, no Allianz Parque, pela 12ª rodada do Campeonato Paulista. O Palmeiras venceu por 2 a 1 na última rodada da primeira fase – gols no segundo tempo: de Lucas Silva (Água Santa), aos 17, e de Ramires (Palmeiras), aos 26, e de Luiz Adriano (Palmeiras), aos 42, após cobrar pênalti, o goleiro defender, e fazer no rebote!

Em sua casa, o Verdão não sabe o que é perder neste ano. Por enquanto, são cinco jogos com este, sendo três vitórias e dois empates: venceu o Mirassol por 3 a 1 (em 16/02), o Guarani-SP por 1 a 0 (em 20/02), o Água Santa por 2 a 1 (na tarde de hoje), empatou com a Ferroviária por 1 a 1 (em 07/03) – todos esses pelo Paulista – e superou o Guaraní-PAR por 3 a 1 (em 10/03), pela Libertadores.

Com o triunfo agregado ao revés do Santo André para o Ituano por 3 a 1, o Palmeiras encerrou a sua participação na primeira fase agora na liderança do Grupo B (e na segunda na classificação geral do campeonato), com 22 pontos (atrás apenas do Red Bull Bragantino, com 23).

Já classificado para as quartas de final desde antes mesmo de entrar em campo pela 11ª rodada do Estadual, contra o Corinthians, na última quarta-feira (22), o Maior Campeão do Brasil irá encarar o próprio Santo André na fase de mata-mata, em jogo único, a ser disputado na casa palmeirense.

A data e o horário para a disputa do jogo das quartas de final deve ser definido pela Federação Paulista de Futebol (FPF) até a próxima terça-feira (28).

Esta foi a primeira partida do Alviverde Imponente em seu estádio após 138 dias de ausência por conta da paralisação do futebol nacional em combate à disseminação do coronavírus.

Devido às medidas de proteção contra a pandemia, esta foi a primeira vez na história em que o Palmeiras jogou sem público em sua casa própria (considerando tanto o período do Parque Antarctica, adquirido pelo clube em 1920, quanto do atual Allianz Parque, inaugurado em novembro de 2014). Na história do Verdão, além desta de hoje, aconteceram jogos de portões fechados na história palmeirense apenas em outras três ocasiões: em 31/07/2005, no 1 a 1 com o Atlético-PR, pelo Campeonato Brasileiro (devido à invasão de campo de torcedores palmeirenses no jogo anterior, a partida também foi transferida do Palestra Italia para o Pacaembu); em 17/05/2015, no 0 a 0 com o Joinville, pelo Brasileiro, desta vez na casa do adversário (os catarinenses foram punidos por uma briga de torcidas); e na última quarta (22), quando o Derby foi jogado sem presença de público pela primeira vez em 103 anos.

Nos aspectos coletivos, o time de Vanderlei Luxemburgo segue com a melhor defesa do Paulistão, agora com apenas seis gols sofridos (em 11 partidas), seguido pelo Novorizontino, com oito. Por ter marcado 16 gols, o Verdão tem também o melhor saldo de gols da competição até aqui: 10 tentos, de forma isolada. Em seguida, aparece o Red Bull Bragantino, com oito (marcou 17 vezes e sofreu nove gols).

Grande responsável por essas marcas coletivas da equipe palmeirense, o técnico Vanderlei Luxemburgo por sua vez, é o treinador que por mais vezes dirigiu e venceu pelo Palmeiras no Palestra Italia/Allianz Parque: agora são 149 partidas no local, com 118 vitórias, 20 empates e 11 derrotas.

Vanderlei Luxemburgo soma agora 389 partidas à frente do Palmeiras, com 235 vitórias, 86 empates e 68 derrotas. O treinador conquistou quatro dos cinco Campeonatos Paulistas que disputou com o Verdão (1993, 1994, 1996 e 2008, justamente os últimos quatro títulos estaduais do Palmeiras – ele só não ganhou em 2009), sendo o que mais levantou taças estaduais pelo clube, ao lado de Oswaldo Brandão (que faturou os de 1947, 1959, 1972 e 1974). Ambos também são os maiores campeões da história do clube, com sete títulos cada um (Luxa soma os Brasileiros de 1993 e 1994 e o Rio-São Paulo de 1993, enquanto Brandão levou os Brasileiros de 1969, 1972 e 1973).

Nos aspectos individuais, destaque para Ramires, que saiu do banco de reservas para marcar o primeiro gol do Verdão aos 26 do segundo tempo, atuando no time pela primeira vez após o retorno da pausa devido a pandemia.

Destaque também para Marcos Rocha, que já era o garçom do Alviverde no Paulista de 2020 e agora aumentou ainda mais essa marca – são 3 assistências no estadual, sendo 3 também na temporada toda, passando a ser agora, inclusive, não só o maior garçom do time no torneio estadual, mas também do time na temporada toda, ao lado de Dudu (que também deu três passes a gol antes de ir para o futebol do Qatar). Vale lembrar que Rocha, em 2019, já apresentava histórico de ser bom nas assistencias. Ele foi o segundo maior garçom do elenco, com sete passes a gol, ao lado de Gustavo Scarpa e atrás apenas de Dudu, com 18). Além disso, atualmente, ele é o jogador do atual elenco com mais passes para gol no Allianz Parque: são 10 assistências, seguido de Willian Bigode, com 9. Neste quesito, o camisa 2 esta atrás apenas de Róger Guedes e Robinho (empatados com 10 na segunda colocação) e 35 de Dudu (líder geral de assistencias na arena palmeirense). E não são só pelas assistências que Marcos Rocha se destaca. O camisa 2 fechou o Brasileirão de 2019 como o atleta que mais desarmou jogadas rivais contando todos os times, com 103 interceptações, enquanto o ala-esquerdo Diogo Barbosa ficou na terceira posição com 80 – Gregore, volante do Bahia, ficou na 2ª colocação do ranking com 102.

Outro jogador que merece ser exaltado nessa partida é Luiz Adriano, fez seu 9º jogo no Allianz Parque pelo Verdão e chegou ao 8º gol! Vestindo a camisa palmeirense, o atacante, portanto, tem uma ótima média na arena, de 0,88 gol por jogo na arena – com direito a dois hat-tricks.
(Texto: Bruno Alexandre Elias. Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

MAIS...

Comentários

+ lidas nos últimos 30 dias!

Mega-Sena acumula

Maringá FC mostra os últimos reforços para o Paranaense da Segunda Divisão

Pia Sundhage completa 1 ano à frente da Seleção Brasileira feminina