Docente da UEM é contemplada por edital de apoio a pesquisas de enfrentamento ao coronavírus


A professora Maria Aparecida Salci do Departamento de Enfermagem (DEN) da Universidade Estadual de Maringá (UEM), foi contemplada pelo edital do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), e o Ministério da Saúde (MS), por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde (Decit/SCTIE) - MCTIC/CNPq/FNDCT/MS/SCTIE/Decit Nº 07/2020 – Pesquisas para enfrentamento da COVID-19, suas consequências e outras síndromes respiratórias agudas graves.

O projeto de Maria Aparecida Salci, que contém título ‘Acompanhamento longitudinal de adultos e idosos que receberam alta da internação hospitalar por COVID-19’, tem parceria com a Duke University e Secretaria de Saúde do Estado do Paraná.

“A Secretaria de Saúde disponibilizará os dados do Estado do Paraná para fazermos a captação dos participantes; a Duke, nossa parceria visa internacionalização, com mobilidade acadêmica e institucional, desenvolvimento de doutorado sanduíche e a divulgação científica dos dados”, explica Salci.

O financiamento global é no valor de R$ 332.413,00 e esse valor prevê capital, custeio e Bolsas de Desenvolvimento Tecnológico, Especialista Visitante, Extensão no País, Iniciação Tecnológica e Apoio Técnico em Extensão no País.

O projeto conta com a participação dos professores do Departamento de Enfermagem da UEM, Lígia Carreira, Cremilde Aparecida Trindade Radovanovic, Magda Lúcia Félix de Oliveira, Marcelle Paiano, Rosana Rosseto de Oliveira, André Esteves Jaques, Nelly Lopes de Moraes Gil e João Ricardo Nickening Vissoci, da Duke University.

Ainda de acordo com Salci, a proposta será desenvolvida junto aos professores afetos ao Programa de Pós Graduação em Enfermagem da UEM, “ teremos o desenvolvimento de diversas teses e dissertações vinculadas ao projeto proposto que, pretende realizar o acompanhamento longitudinalmente do paciente, após alta hospitalar, para avaliação das sequelas e consequências da COVID-19 a longo prazo” esclarece a coordenadora.

“Esperamos trazer resultados importantes para a sociedade e para a ciência, além de respaldo para direcionamentos de políticas públicas no que compreende as sequelas e consequências que a COVID-19 acarreta a longo prazo às pessoas que desenvolveram a forma grave da doença, criando também a possibilidade de seguimento clínico e de cuidado às pessoas que tiveram a COVID-19 em sua forma grave no Estado do Paraná” conclui Salci. 
(Comunicação UEM)

Comentários

+ lidas nos últimos 30 dias!

Mega-Sena acumula

Giovana Marinoski disputa o Open do Sul-Brasileiro no Beto Carrero

Maringá Futebol Clube anuncia mais 3 reforços para a Segundona do Paranaense